Também chamada de Medicina natural, é um sistema de Medicina que resultou da evolução de práticas tradicionais e de cuidados de saúde populares na Europa durante o século XIX, particularmente na Alemanha, onde tem as suas raízes. Registou uma grande divulgação e popularidade nos Estados Unidos durante as décadas de 20 e 30 do século XX, pela mão de Benedict Lust, um emigrante alemão.

A sua utilização entrou em declíneo quando os fármacos (como os antibióticos, por exemplo) e outros desenvolvimentos da medicina convencional tomaram a dianteira nos cuidados de saúde. Voltou a assumir um lugar de destaque na década de 70, em resposta a um maior interesse dos consumidores por uma abordagem holística dos cuidados de saúde.

 

O princípio orientador desta terapêutica é, fundamentalmente, a busca do equilíbrio entre o Homem e a sua condição de ser natural para que, desta forma, atinja um estado de plena saúde. Desta ideia decorre  ainda a capacidade de auto- cura. Ou seja, quando em desequilíbrio, os tratamentos naturopáticos visam estimular, fortalecer e melhorar a capacidade de cura do indivíduo. A prática da Naturopatia rege-se pelos seguintes princípios:

  • Utilizar o poder curativo da Natureza (vis medicatrix naturae). O organismo é capaz de estabelecer, manter e restabelecer a saúde. O terapeuta deve apoiar e potenciar a capacidade inata do organismo e identificar e eliminar os obstáculos a um estado de plena saúde.
  • Identificar e tratar as causas da doença (tolle causum). As causas da doença devem ser identificadas e tratadas para que o paciente recupere. Os sintomas são uma evidência da tentativa de cura por parte do organismo, não uma causa da doença (que pode ter origem física, mental ou espiritual), pelo que não devem ser o foco do tratamento.
  • Em primeiro lugar, não causar dano (primum non nocere). O tratamento deve actuar em sintonia com o esforço de cura do organismo, minimizar efeitos secundários e não eliminar os sintomas.
  • O terapeuta é também um professor (docere), que deve educar os seus pacientes e encorajá-los a tomar a responsabilidade pela própria saúde.
  • Tratar o indivíduo como um todo. A recuperação da doença e a manutenção de um bom estado de saúde acontecem quando todas as variáveis da vida do indivíduo estão em equilíbrio e em harmonia. Durante o tratamento, todos os aspectos da vida do indivíduo – físico, mental, emocional, espitirual, genético, ambiental e social – devem ser avaliados.
  • Dar enfase à prevenção. Através da educação e da promoção de um estilo de vida saudável, o terapeuta estará a dar enfoque à promoção da saúde e não ao combate à doença.

 

A Naturopatia é uma disciplina ampla e inclui, no seu exercício, técnicas como a Hidroterapia, a Fitoterapia, a Nutrição, a Homeopatia,  Osteopatia, Massagem, etc.

Deixe uma resposta